Testes do boro disponível no solo

Testes do boro disponível no solo

  • Poderá haver suspeita de deficiência de boro em solos com textura áspera onde o teor de matéria orgânica é baixo, em solos com um pH acima de 6,0 e em solos que recentemente passaram por calagem.
  • Testes do solo e análises das plantas são úteis na avaliação da capacidade em potencial de fornecimento de boro do solo e no estado atual de boro da planta.
  • Pesquisas recentes têm demonstrado que três testes de solo usados comumente, os testes de Mehlich-1 e -3, e o teste de DTPA modificado para incluir sorbitol também poderão ser usados para determinar o boro disponível nos solos. Entretanto, o teste de água quente (HWT) é o mais comum.
  • O valor crítico do boro disponível em um teste de solo poderá ser afetado pelo solo e o meio ambiente, que devem ser considerados na interpretação dos resultados do teste do solo.
A maior parte do boro disponível nos solos é encontrada na fração da matéria orgânica do solo. Solos arenosos com boa drenagem provavelmente terão uma deficiência maior de B em situações de chuvas intensas por causa de seu maior potencial à lixiviação. A disponibilidade do boro para as plantas diminui com o aumento do pH do solo, principalmente acima do pH 6,5. No entanto, solos extremamente ácidos (pH inferior a 5,0) também tendem a ter pouco B disponível. Algumas culturas com alta demanda de boro—como alfafa—também exigem um pH do solo acima de 6,5 para o crescimento ideal, portanto a calagem poderá ser necessária. A calagem em excesso de solos ácidos geralmente resulta em deficiências temporárias de boro, em especial quando a calagem é realizada em níveis de pH acima de 7,0.

Testes do solo

Os testes do solo são usados para determinar a quantidade de boro disponível nos solos para que recomendações adequadas de boro possam ser feitas para a cultura em um campo específico. Os testes do solo são análises de laboratório de amostras para se estimar os níveis de nutrientes disponíveis nos solos. Medições de outros parâmetros relevantes para o crescimento das plantas, como pH do solo, teor de matéria orgânica e textura, geralmente são feitas ao mesmo tempo.

A interpretação apropriada dos resultados otimizará as recomendações de fertilizantes. Os métodos de testes do solo devem ser correlacionados à resposta das plantas em relação a determinado nutriente em diversos solos, que variam em nível de disponibilidade daquele nutriente. Esses métodos com valores de correlação elevados fornecem uma estimativa melhor da disponibilidade dos nutrientes das plantas no campo em questão.

A amostragem cuidadosa é essencial para assegurar que a amostra sendo testada seja representativa do campo sendo amostrado. Em geral, o campo ou a área do campo da qual está sendo obtida uma amostra composta não deve ser maior que 50 a 100 acres. Cerca de 15 amostras de núcleo devem ser obtidas com uma sonda de aço inoxidável para testes do solo até a profundidade do preparo do solo (aproximadamente 15 a 20 cm) para a maioria das culturas. Essas amostras devem ser secas ao ar e misturadas bem. Cerca de 665 ml devem ser sub-amostrados para análise em um laboratório certificado.

É importante preencher o formulário de informações para anexar à amostra do solo para a interpretação adequada dos resultados. Sem essas informações, a recomendação de fertilizantes não pode ser personalizada de acordo com a situação específica.

Testes do boro disponível no solo

O teste solúvel em água quente (hot-water-soluble, HWS)

Este método foi desenvolvido em 1939 e continua sendo usado para determinar o boro disponível nos solos. Embora diversas modificações tenham sido desenvolvidas nos últimos 60 anos, a extração do solo com água fervendo por 5 minutos ainda é a base desse método (consulte a Referência 1).

Alguns dos problemas relacionados a esse método são: ele não se adapta bem a análises de rotina, é demorado e requer precauções especiais para evitar contaminação. Além disso, esse teste do solo é específico para boro, então um teste separado deve ser realizado para cada amostra de solo quando o boro disponível for solicitado.

O nível crítico de boro em HWS para culturas que exigem as faixas de boro com maior disponibilidade, de 0,5 a 1,0 ppm na maioria dos solos. O nível crítico de boro também está relacionado ao pH, ao teor de matéria orgânica e à textura do solo. As culturas que são cultivadas em solos que estão abaixo do nível crítico geralmente responderão ao boro.

Os testes de Mehlich-1 (M-1) e Mehlich-3 (M-3)

Estes métodos são usados com frequência para determinar P, K, Ca, Mg, Mn e Zn disponíveis, principalmente em solos ácidos do leste dos Estados Unidos. Foram feitas pesquisas recentes para comparar as quantidades de boro nestes extratos de testes do solo com os do boro em HWS em 100 amostras de solo, em seis estados dessa região.

Os resultados mostraram que o método M-3 extraiu quantidades de boro semelhantes ao método HWS, porém mais boro do que o método M-1. Ambos os métodos apresentaram correlação significativa com o boro em HWS (r = 0,82 e 0,74, respectivamente) (consulte a Referência 3), portanto o método M-1 ou M-3 poderia ser usado para determinar o B disponível em testes de rotina do solo.

O boro nesses extratos foi determinado pela espectrometria com plasma acoplado indutivamente (inductively-coupled plasma, ICP), portanto essa análise pode ser realizada simultaneamente com as análises dos outros elementos nutrientes.

O teste de DTPA

Este método foi desenvolvido principalmente para a determinação de Zn e Fe disponíveis em solos alcalinos dos estados do oeste dos Estados Unidos. Recentemente, determinou-se que a inclusão do sorbitol (um composto de açúcar) no extrator DTPA complexificará o boro do solo. Os resultados mostraram que as quantidades de boro extraídas por esse método foram 96% das quantidades de boro em HWS nesses solos e apresentaram correlação significativa com B em HWS (r = 0,97) em 42 solos (consulte a Referência 2).

A determinação de boro juntamente com Cu, Fe, Mn, e Zn por ICP em extratores DTPA não resulta em custos extras para determinar o boro disponível usando procedimentos de testes de rotina do solo.

Resumo

Pesquisas recentes mostraram que o boro disponível nos solos pode ser determinado simultaneamente com outros nutrientes através dos três métodos de testes de rotina do solo. Isso reduzirá bastante o custo de se determinar a quantidade de boro disponível nos solos, portanto a disponibilidade de boro será testada em mais solos no futuro.

Ainda há necessidade de mais pesquisas para se obter níveis críticos de boro nos solos usando esses métodos, assim como estudos de correlação dos valores obtidos por esses métodos com resposta das culturas ao boro aplicado.

Referências

  1. Keren, R. 1996. Boron. pp. 603-626. In D. L. Sparks et al., eds. Methods of Soil Analyses. Part 3: Chemical Methods. Soil Science Society of America Book Series No. 5, Madison, WI.
  2. Shuman, L. M., et al. 1992. Comparison of Mehlich-1 and Mehlich-3 Extractable Boron with Hot-water Extractable Boron. Communications in Soil Science and Plant Analyses 23:1-14.
  3. Miller, R. O., B. Vaughan and J. Kotuby-Amacher. 1999. Extraction of Soil Boron with DTPA-Sorbitol. Agronomy Annual Meeting Abstracts, Madison, WI.

 
Download de observações sobre agronomia